Sobre a cidade

vista_aerea_prataA região em que se localiza São Domingos do Prata é a do Rio Piracicaba, uma das bacias secundárias do Rio Doce, habitada primitivamente pelos índios botocudos. A região começa a ser citada em documentos por volta de 1713, quando o paulista Capitão-Mor João dos Reis Cabral descobre terrenos auríferos na região do atual Município de Rio Piracicaba. Este município dista de São Domingos do Prata por apenas 30 quilômetros. Em 1730, época quente do ciclo do ouro, quando cidades como Ouro Preto, Mariana, Sabará e outras iam se destacando no cenário político, social, econômico e cultural do Brasil, foi a ocasião em que os irmãos João e Alexandre dos Santos Leite tentaram a mineração e cultura na região do atual Distrito de Alfié. Tal experiência durou pouco tempo, devido à escassez do ouro e a hostilidade dos botocudos, que infestavam a região. Venderam então suas propriedades para o português Francisco Rodrigues da Rocha, em 1740, tendo doado parte das mesmas para o Patrimônio de Sant’Ana, e ele mesmo, João dos Santos Leite, construído a primitiva Capela do Alfié. O primeiro núcleo populacional do município começou portanto na região do Alfié.
As origens da Cidade de São Domingos do Prata estão ligadas à aventura em que, segundo tradição ou lenda, se viu colhido o português DOMINGOS MARQUES AFONSO, um dos primeiros a obter sesmaria de terras na região. Conta-se que ele, embrenhando-se certa vez na mata para caçar, ficou perdido no meio dela, completamente desorientado do rumo de sua casa, assim permanecendo por vários dias, alimentando-se de frutas e resignado o momento de ser morto pelos índios ou por animais ferozes, ou picado por cobra. Este pensamento teria sido escrito por ele nas raízes de uma sapopema (palavra de origem tupi: sau’pema – raiz chata) quando, concentrando-se em seu íntimo de homem profundamente religioso, pediu a proteção de Deus, por intercessão de seu patrono e homônimo, São Domingos de Gusmão. Caso encontrasse o caminho de volta para casa, faria doação de terreno para formação do patrimônio, construiria uma capela e mandaria vir de Portugal uma imagem do santo. Encontrou o caminho, salvando-se assim da morte que parecia certa. Isso teria acontecido em 1758. Um século depois a inscrição foi descoberta por Severino da Costa Leite, já desfalcada de algumas letras e decifrada por Cipriano Vieira Marques, descendente de Domingos Marques Afonso, provavelmente instruído por tradição familiar.
O Município de São Domingos do Prata foi criado no ano de 1890, continuando a sede na condição de Vila, mas elevada à categoria de cidade um ano depois, em 1891.
São Domingos do Prata foi então criado Município, desmembrado do de Santa Bárbara, com o distrito sede e mais os seguintes: Piracicaba, também desmembrado do de Santa Bárbara, Vargem Alegre, desmembrado do Município de Mariana, e Dionísio e Alfié, desmembrados do de Itabira. Isto foi feito pelo Decreto número 23, de 01 de março de 1890. São Miguel do Piracicaba permaneceu pouco tempo como Distrito de São Domingos do Prata, voltando a pertencer a Santa Bárbara, em setembro do mesmo ano. O título de Cidade para São Domingos do Prata só foi dado no dia 02 de março de 1891, Lei Nº 45.